Variações do mesmo tema sem sair do tom

Hittler se tornou uma lenda. Porque era nacionalista, porque era ambicioso, porque era responsável pelo país e principalmente porque era capaz. Hittler era um monstro e um grande estadista, um conquistador capaz de passar por cima de qualquer um que se metesse em seu caminho. Não sou da opinião de que os fins justificam os meios, até porque os meios errados que Hittler usou se restringiam ao anti-semitismo e à crença numa raça superior. Bush pensa como Hittler pensava e com certeza não aceita tal comparação. Eu também não aceito por dois motivos: o Bush não tem metade da inteligência do Hittler e eu respeito demais Hittler, por sempre encará-lo como mais do que um assassino. Ele também o foi, mas não foi apenas isso.

Eu sou consumista de sites de notícia com opinião, ou seja, sou uma viciada em NoMínimo e foi lá que me deparei com algumas informações que fazem a gente se segurar na cadeira e pensar um bocado. Estamos vendo a guerra do jeito mais grotesco: através de uma câmera controlada por um computador, não há nada de humano naquela forma informação. Se bem que também não há nada de humano na atitude do presidente do mundo, não há nada de humano em saber conviver com a ONU, não há nada de humano na terra do hambúrguer. Nos E.U.A., não há humanidade em quase nada e em quase ninguém. Boa parte das pessoas por ali acreditam que vale perder a liberdade em nome de uma pseudo-segurança, não enxergam quase nada além de seu próprio umbigo e não conhecem com muitos detalhes a sua própria história. Mil perdões aqueles que gostam de americanos, mas eles não merecem meu respeito. Penso assim em parte pelo que são e acreditam e em parte principalmente pelo que representam e propagam.

Para quem está vendo pela TV, aqui no Brasil, eu pergunto: em que(m) vocês acreditam? Acreditam nas imagens de Iraquianos se rendendo? Acreditam nos helicópteros que Saddam diz que derrubou? Melhor, vocês ainda acreditam na mídia???

Bush está resumindo tudo que acontece em “bem” e “mal”, eu acredito que os homens não são só bons nem só maus, ser humano é conter os dois lados e saber conviver com eles. Não acho legal ter que escolher, não é possível que ser contra a guerra (na cabeça dele contra democracia, liberdade e paz) signifique ser a favor de Saddam (que na cabeça dele significa ser a favor do terrorismo). Isso é ser muito estreito mentalmente, isso é pura e simples burrice. Se bem que tem gente que chama de propaganda de guerra… Para encerrar, minha frase favorita: certo e errado é só uma questão de ponto de vista.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

Leia o post anterior:
De alma lavada

Hoje a voz ainda está falhando e o cansaço está estampado no rosto, junto com um enorme sorriso que lava...

Fechar