Retrô 2003?

Pensei em escrever uma retrospectiva de 2003. Pensei seriamente, a ponto de rascunhar 5 páginas de um caderno velhos, o caderno onde condeno meus posts de gaveta a esperar horas propícias. Se um dia eu for famosa, este caderno poderá valer uma fortuna, se não, pelo menos valerá umas boas risadas… Repensar 2003 revelou coisas intensas demais para posts neste blog, embora minha vida seja um livro aberto eu tenho o hábito de arrancar páginas feias ou muito rabiscadas.

O fato é que este foi um ano fabuloso e que olhar pra ele me jogou em um enorme devaneio sobre palavras, sobre o que dizemos quando é desnecessário e a quantidade de vezes em que nos calamos quando as palavras são fundamentais. Eu (felizmente ou infelizmente, não sei ao certo), costumo pecar muito mais pelo excesso de palavras e este ano colecionei silêncios nada providenciais.

Se eu pudesse destacar 5 momentos no ano que passou, creio que os melhores foram estes (em ordem cronológica):

Uma noite de chuva com uma garrafa e literalmente um gato;
Uma conversa em que mandaram eu me restringir a ser uma só pessoa e eu, obediente, ando bem mais feliz;
Uma ligação que virou um encontro que me deu um amigo que me redescobriu pra mim mesma;
A noite em que comemorei meu aniversário na facul, foi perfeita!;
O dia em que descobri um invasor de universos paralelos.

Agora, cada minuto do ano filho da puta que tive me parece muito gratificante…

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte