Uma questão de respeito

Outro dia recebi um e-mail de uma moça que me pediu para liberar para ela uma coisa que eu não estava mais usando: o Reticências… Eu fiquei meio na dúvida e acabei não respondendo. Isso não importa, o que interessa é que parei de protelar uma coisinha que eu devo aos meus bons e velhos garrafeiros: arrumei e coloquei no ar cada palavrinha do blog. Reli meus arquivos, tudo que escrevi, todos os comentários; e me peguei lembrando cada um dos preciosos momentos. Deu saudades de muitas coisas, dos amigos que escreviam comigo, do estilo de cada um deles e de quanto isso influenciou o meu estilo. As vontades foram muitas enquanto eu estava nessa tarefa: de chorar, de rir, raiva de mim mesma, enfim, um coquetel molotov de sensações. Mas isso pouco importa, afinal está tudo lá, guardado. E eu vou superando meus defeitos e minhas tolices ao revê-las. Pra quem gostava e quer ler alguma parte daquilo, clique aqui.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

Leia o post anterior:
Devaneios sobre cultura

Tenho uma amiga que escreve maravilhas, dela recebi um e-mail muito bom. Transcrevo aqui um trecho do e-mail e a...

Fechar