Popularidade

Eu já disse que não gosto de pessoas populares? Pois é, não gosto. Caso alguém aí apareça para dizer que na faculdade eu era popular, entendam que pelo menos eu sou gente boa, não fiquei conhecida por causa das minhas roupas, meu carro ou as pessoas com quem eu saio. Mas eu dizia que não gosto de pessoas populares; penso assim também na internet, sabe? Esses povos de milhões de acessos por dia me causam um preconceito que não sei explicar direito, só sei que simplesmente não consigo clicar nesses blogs que deus e o mundo lêem e gostar. Alguém tem que vir e me contar que é bom, daí eu vou lá, leio e me convenço. Ou não.

Pois é. Hoje eu conversava com essa criatura que caiu de pára-quedas na minha frente essa semana e ele veio me falar uma parada do Sérgio Faria. Ele nem queria me convencer a gostar, não, mas eu fui lá ler o dito texto e tive que me render, o Sérgio é um desses caras de se dizer ora, puxa! O post é impróprio para este horário, mas para ajudar os dispostos a procurar nos arquivos, é quando ele explica porque acredita em Deus. Façam como sempre fazem quando eu digo ora, puxa!, vão lá.

http://nepa.nl/establishments-worldwide/shanghai/?l=de P.S.: sim, este blá-blá-blá todo foi só para linkar um cara.
source site P.S.2: não, não tem prazo para as garrafas voltarem a funcionar. Sim, pode ser que todas as garrafas escritas até hoje tenham sido perdidas.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

Leia o post anterior:
Bons motivos para se vir a Teresópolis

1. Aqui fica o Dedo de Deus e a CBF, o Dedo de Deus é lindo e a CBF... bom,...

Fechar