Uma verdade na ficção

Não viu Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal? Então vai ver, mas vai porque é um Indy perfeitinho e se não viu, pode continuar lendo porque o post é inofensivo em relação ao filme.

Entramos no cinema e eu nem tinha me dado conta do assunto do filme, afinal eu veria qualquer Indiana Jones. Bem na verdade, só me liguei do assunto quando vi na telona justamente a imagem da tal caveira de cristal e me lembrei de tudo que ela significa, então resolvi postar sobre ela. Ou melhor, elas. É isso aí, são várias. São 13 e são lendárias.

A popstar é a de Mitchell-Hedges, a mais nítida dentre todas encontradas que, por sinal, é citada no filme. Mas não é a primeira, nem a mais importante. Até hoje, foram encontradas nove das treze caveiras lendárias. Só para constar as localizações: Museu de Paris, Museu Britânico, Instituto Smithoniam de Washington e seis em acervos particulares. A origem das caveiras não é conhecida, embora a maioria acredite que tenham sido esculpidas por povos pré-colombianos. A questão é que não havia tecnologia para esculpir um negócio desses na época de suas descobertas (a primeira foi encontrada em 1880).

De acordo com o ocultismo, a reunião das 13 caveiras de cristal permite que você tenha um conhecimento superior. Olhando as caveiras por diversos ângulos, é possível perceber, como se estivesse gravadas nelas, diversas imagens de acontecimentos históricos e outros que ainda estão por acontecer. É, pois é, as caveiras podem prever o futuro. Pela lógica yo no creo en las brujas, pero que las hay, las hay, nenhum dono está disposto a abrir mão de sua caveira, mesmo não havendo registro das 13 até hoje. Segundo místicos pelo mundo, as caveiras remontam à Atlântida.

De acordo com a Central de Fofocas Inúteis – CFI, duas das nove existentes são falsas, a britânica e a americana (link). Lógico que a CFI só foi trabalhar nisso por conta do filme, mas eu não vou entrar nos méritos disso. Se eu acredito no poder das 13 Skulls? Volta no título do post que você acha a resposta. Yo creo en las brujas porque las vi volar y porque vi un hombre desaparecer y aparecer de nuevo*. Mas não vou explicar isso.

Frase para quem já viu o filme: podem ter certeza, não sei sobre os outros, mas este filme foi bem pesquisadinho, porque as informações batem com o que eu já sabia. Exceto aquela porra de final tosco e tonguices sobre os aliens. Tenho mais fé no misticismo do que nos alienígenas.

*for dummies: eu acredito em bruxas, porque as vi voar e porque vi um homem desaparecer e aparecer de novo. E foi mal a decepção, mas a frase é minha mesmo.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

4 Comentários

  • Como diria o Chaves (o da Vila, não da Venezuela): eu não acredito em bruxas. Elas são muito mentirosas…

    Eu acho isso tudo boas histórias de ninar.

  • Hehe, legal, eu provavelmente não saberia dessas caveiras nem em mil anos… bom, não até o Fantástico resolver aproveitar o hype e fazer uma matéria sobre.

    Enfim, toda cultura é válida e interessante, mesmo que yo no crea en las brujas, y prefiro que sea asi. 😀

    (Eita, espanho vagabundo esse meu…)

  • A gente pensa bem diferente em quase tudo aparentemente! 😉

    Li sobre os crânios de cristal uns 28 anos atrás e, apesar de ser bem mais cético hoje, gostei do seu post 😉

Comentários indisponíveis.