A minha mãe estava errada

E a sua também. Digo isso porque depois que a gente cresce existe uma regra que simplesmente não faz o menor sentido e desrespeitá-la (a regra, não a mãe) é um dos hábitos mais saudáveis que se pode adquirir. Toda mãe repete igual um papagaio: não converse com estranhos. Ora, porque não? Essa regra não faz sentido! O ser humano é um ser social, a gente começa a desrespeitar a regra já na escolinha, conversando com os coleguinhas. E segue desrespeitando a vida inteira – quem não faz isso, deveria fazer.

Ontem conversei com um estranho. Tá ok, ele estava com dois conhecidos. Mas há seis meses os outros dois também eram estranhos. E por ignorar esta bendita convenção maternal é que ontem eu tive uma noite divertidíssima. Falei de música, falei de eventos, falei de política, falei mal de algumas pessoas e bem de uma.

Sabe quando você conversa com alguém e sente aquela sensação de pertencer? Bem como diz a Clarice Lispector, nesse texto? Então, bem isso. Eu, que nem sou muito fã de Clarice, confesso que quando conheço pessoas como o cara que conheci ontem paro de achar que eu sou a última esquisita do mundo, porque alguém ainda pensa como eu e gosta das mesmas coisas que eu. E quando ele diz que divide suas idéias com muitos, então eu percebo que pertenço a um grupo. Vou dormir bem mais feliz do que se desse ouvidos à minha mãe e não conversasse com estranhos.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

15 Comentários

  • Essa regra se aplica somente enquanto não temos a capacidade de discernir o bem do mau, mas isso também é uma outra capacidade a ser desenvolvida. Tem gente que passa a vida sem a desenvolver e somente encontra gente errada pelo caminho. Eu, por exemplo, sou um imã pra gente louca. Vai saber!

  • Oi,linda

    Sua mãe deve ter razão…a minha também…mas já não ligo pra isso…creio que gostamos de esportes radicais…e por falar nisso tudo ok na sua conta bancária?rs

    bjs

  • Nem sempre conselhos devem ser seguidos…mas claro que meu filho jamais vai saber que eu disse isso rs
    Por falar nele, obrigada por seu carinho por lá viu? Então a noticia ta correndo é? rs
    Bjão!

  • Oi,querida

    Então…se já está difícil vc fazer amizades com “bons desconhecidos”,imagine se a gente ficar só na periferia dos nossos conhecimento??Arriscar é preciso…Espero que vc se divirta com o novo amigo e …..ah…deixa!rs

    bjs

    *Parabéns pelo tamplate do Bruno!Ficou show!

  • Poizé, sei que você tá certa, mas eu tenho um grande defeito: não sou muito chegado a conversar, tanto que quando estou em lugares públicos torço para que não puxem assunto comigo e, se puxarem, não dura mais que meia dúzia de palavras ..
    Fobia social ?? Nada, chatice mesmo !!
    Abração !!

  • Olá

    ..”não confie em ninguém com mais de 30 anos…”

    Mas,cuidado com a preocupação de encontrar pessoas iguais …é na diferença que aprendemos na vida!

    Beijos

  • Eu ia falar o que a Cin falou, sobre os nossos filhos não saberem que as regras estão aí para serem quebradas. Por que a gente, depois que vira mãe, repete os mesmos modelos, os mesmos conselhos, porque é só aí que a gente entende os porquês eles foram usados e dados.É o danado do medão que a gente tem que nossos filhos se dêem mal e encontrem pessoas “más” pela vida. Mas a gente cresce, faz as próprias escolhas e regras e aí….

  • Foi desrespeitando esse tipo de regra que conheci algumas das melhores pessoas que eu conheço hoje,alguns dos grandes amigos.
    Como não falar com estranhos??Só se hibernarmos dentro de casa todos os dias o dia todo.Como passar o dia inteiro no trabalho, facul,ponto de ônibus,metrô e filas sem abrir a boca, e descobrir, talvez um mala,tá,mas talvez uma ótima companhia.Só passando por cima da regra pra saber.
    Bjs 🙂

  • … pobre de mim se não falasse com estranhos…

    Mas acho que a minha mãe nunca me disse para não fazer isso… Que coisa, não?

    Besos!

  • Ah, nossas mães falavam isso pq a gente era criança… Imagine… Podia ser perigoso… Mas é engraçado imaginar alguém falando: “Não vô pra festa, não conheço ninguém lá, mamãe diz q é perigoso falar com estranhos”…

    Bjus!!

Comentários indisponíveis.

Leia o post anterior:
Eu não bato bem das idéias

Mal superei o vício de milhões de testes que a Day me arrumou, fui visitar a Beeanka e pronto, arrumei...

Fechar