Uma portuguesada

http://apacheip.com/wp-content/uploads/Cheri Sammis-Resume.pdf Falando em feeds que uso no trampo, além dos brazucas recebo mais um monte para produzir newsletters para Portugal. Perco um tempão enfiada nesses feeds, mesmo só passando o olho e se não interessa pra newsletter, eu jogo fora. Ok, tem algumas que o assunto é divertidinho e eu deixo para ler quando der. “Ler quando der” deve ser a maior pasta do meu outlook, diga-se de passagem. A gente diz que fala a mesma língua, mas cada dia que passa eu tenho mais dúvidas. Por exemplo, vai uma notícia:

http://kranidiotis.gr/wp-content/plugins/photonic/include/scripts/lightslider/css/lightslider.css?ver=1.64 “Um incêndio florestal, que começou pelas 17h20 de ontem em Alvalade, concelho de Santiago do Cacém, mobilizou no seu combate 67 bombeiros, 17 veículos e dois meios aéreos. As chamas foram circunscritas às 19h00 e pelas 20h00 deu-se início ao rescaldo. Ardeu uma área considerável de eucaliptal.”

O que é um concelho? Meios aéreos é qualquer coisa que voa? As chamas foram o quê? Rescaldo? Lógico que dá para entender, mas não é nossa linguagem natural. E então vem esses unificadores da língua portuguesa, mudando as regras todas, só para confundir o meio de campo. Não sei de quem foi essa ideia de gerico, mas as consequências com certeza vão ser indigestas, vai demorar um monte para assimilar. Será que os autores não veem como isso complica? Eu sei que é meio antiético criticar, afinal é uma tentativa de unificar os lusófonos, mas porque esse povo não para de tentar fazer todo mundo escrever igual e se ocupa primeiro em fazer todo mundo falar igual? Tanto faz como escrevemos, vai mudar um monte de coisas e ainda assim nós e os portugueses não vamos nos entender mais rápido, continuamos meio antissociais.

p.s.: se você leu tudo e não estranhou nenhuma palavrinha, você está melhor do que eu, porque este post foi escrito de acordo com a nova norma da língua portuguesa e deu um trabalho bem chato. Algumas pessoas podem se dar bem, quem sabe daqui a cinquenta anos a próxima alteração da língua institucionalize o miguxês como norma culta…

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

15 Comentários

  • Miguxês como norma culta???
    KKKKKKKKKKKKKKKK
    Se esse dia chegar eu não quero nem estar aqui pra assistir. Essa unificação da língua foi imposta e não foi feito a consulta popular para fazer essas tais alterações. Acho que isso não vai ajudar em nada na unificação da língua. Beijos.

  • Lomyne, eu consigo entender tudo da notícia… Eu acho até bonitinho… Tudo bem, meu cunhado é um portuga super, super gente boa! Minha irmã, mais querida do mundo, mora já desde 2002 e desde então que eu vou prá lá e fala praticamente como eles… O português é castíssimo, mas todos, inclusive os jovens são super formais. Meu cunhado adora o jeito como nós, brasileiros, falamos!

    beijos, quérida!

  • Quer saber? Enquanto eu não precisar fazer concurso, continuarei escrevendo do jeito que eu quiser, mesmo que seja errado.

    Essa “unificação” é a maior palhaçada pra mim.

  • Miguxês, imagina…fim dos tempos, não nossos ouvidos não serão obrigados!
    Diga pra mim que não? hehehehe
    Guria não li tudo, mas estou com saudades!
    BJs!
    [;)]

  • Por mim, esse negócio de unificação não pega nunca, eu vou continuar escrevendo com tremas e acentos diversos. A unificação dos lusófonos não depende apenas de acentuação.
    Na Alemanha, uma reforma semelhante não deu certo: as novas normas são obrigatórias em resprtições públicas, mas o restante da sociedade não aderiu.
    Sem contar que nós já aprendemos o português depois de uma reforma. Meu pai, por exemplo, tem sempre um dicionário à mão, ele sempre tem dúvidas quando vai escrever (e quando reviso para ele, sempre acho um “êles”, “govêrno”).
    E vamos falar sério: seria muito mais importante dar atenção aos analfabetos funcionais que saem das escolas públicas hoje em dia, do que ficar brincando de trocar regrinha gramática que no final das contas não vai fazer a menor diferença.
    Despedir-me-ei com beijos…
    *smack!*

  • Lomyne,
    Como vc sabe, eu sou uma pessoa, digamos, antiga… rs E vivi a última reforma e foi MUITO complicada a adaptação. E acredito que essa nova assim o será, com o agravante que não terei mais a tenra idade para facilitar.E assino embaixo no que disse a Márcia, que existem muitas outras coisas mais importantes do que tremas e acentos.
    Bjs!

  • Uma vez vi em um jornal português algo mais ou menos como ‘o autocarro perdeu os travões e despistou-se’. Fui ler a notícia e era sobre um ônibus que tinha perdido os freios e saído da pista… 🙂

    Pra ser sincera, eu me divirto muito com essas diferenças!

    Mônica
    Crônicas Urbanas

  • Mas é por isso que eu te adoro. Como é que você iria ter um amigo de blogue doutor em Língua Portuguesa e escrever em “miguxês”. No dia em que você me aceitou no seu círculo de amizades blogueiras perdeu este direito… rs
    rs
    Mas olha, eu já estive em Portugal e, sem excessos nas tintas, demorei uns dois dias para me ambientar totalmente com o que falavam e com a velocidade que falavam…

    E as palavras… descobri que broches lá não eram aqueles “botons” que usamos nas blusas… caraca… broche lá é “boquete”…

  • É, eu também odiei a nova norma. Mas ela só vai existir mesmo em janeiro, então ainda posso escrever em português. HAHAHAHHA

  • entendi direitinho, mas sou assídua leitora de blogs d´além mar.
    Miguxês?! pelo amor, é uma coisa tão imbecil (aoooooooooom, aoooooommmmmmm! fase zen, não posso e não devo xingar,rsrssr) que prefiro não comentar, hauhauhauahuahuahuahuahuahua

  • Hahahahahaha….
    Mas a graça disso tudo está nas diferenças, creio que elas nunca morrerão, independente da unificação…rss

    Beijos

  • Já tenho meus 4.3, ou seja: já sou semi-novo ou usado, então posso me dar ao luxo de ser chamado de outra geração, a geração dos “tios”, por isso meus tremas, meus agudos de diferenciação e outras coisas da nova gramática (Nova Gramática´foi o nome dado à Gramática instituída na década de 1970 que alterou algumas coisas, como estrêla para estrela, líqüido para líquido, entre outros), mas o mais importante seria fazer com que unificássemos nossos pensamentos, vendo o possivel e o melnor ára o mundo enquanto casa dos serses viventes, e não para o mundo politicamente dividido em nações que disoutam espaços e poderes o tempo todo…
    PS: Desculpe a ausencia, mas tive que trabalhar dobrado nestas duas ultimas semanas… – sei que faz tempo q vc nao posta, mas se quiser dar uma olhadinha naminha novela eu gostaria bastante de teus coments.
    Ah, pra num ficar no português culto: Putaquepariu, vc viu as merdas que alguns candidatos fizeram na campanha: Um vestido de Hulk, um com algemas e boca vedada… mó putaria!
    Beijos afetuosos

Comentários indisponíveis.

Leia o post anterior:
Notinhas de sexta

Tentando colocar este blog nos eixos. Já que o resumão é a única coisa com data certa para ser publicado...

Fechar