Dos medos e tolices

Sabe quando um cachorro resolve surtar e correr atrás do rabo, aquela cena que levanta poeira, faz rir as crianças e deve deixar o coitado muito tonto? Então, me cago de medo ser assim. Porque eu sei que sou chata – algumas pessoas acham que só de vez em quando, outras acham que eu sempre sou chata – e tremo só de pensar no risco de ser a chata repetitiva.

Você pode falar do Big Brother o tanto que quiser, mas se falar o tempo inteiro sobre a quantidade de blush que a Francine usa, até os viciados vão achar você chato. Você pode querer muito salvar as matas e a vida selvagem, mas definitivamente falar toda semana do Projeto Tamar enche o saco. Em blogs então, é ainda mais complicado. Se você tem um blog dedicado a um tema, como criação de joaninhas, beleza, é sempre mais do mesmo; mas o blog que fala há dois meses do pé na bunda que levou do namorado, esse sim é indigesto. Porque não importa o assunto, do nobre ao fútil, mesmo entre semelhantes, a repetição fode a paciência.

Sério, alguém me avisa se eu ficar chata? Mesmo? Porque eu juro que não falo de cotas nunca mais, já que nos histórico devem ter uns três posts gigantescos sobre o assunto…

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

4 Comentários

  • Eu acho que no blog vc pode ser chata o quanto quiser, se quiser se repetir, não tem grilo.

    Porque se alguém não gostar, é só pular o post.

  • Papo sobre cotas?

    Cotas? Hein? O que é isto?

    Cotas é demagogia populista!
    Vou postar umas palavras sobre isso.
    Não hoje que estou sem tempo.

    Mas como já disse antes detesto demagogia barata.

Comentários indisponíveis.

Leia o post anterior:
Alerta

Não se deve deixar uma pessoa como eu meia hora sem fazer nada no trabalho. Porque ó: E a culpa...

Fechar