Lego Ergo Sum

source site Então que nessa de voltar a escrever, no domingo mesmo, entre ler vários blogs, nesta época de vacas magras de post aqui, por alguma estranha razão aparecem leitores novos, vejam só como é a vida. Assim fui parar no Diario da Fafi. Num post sobre leitura – e sobre o trampo dela, pelo que entendi – ela citou Edmir Perroti: here “leitura é questão de foro intimo e não de politicas públicas”. E aí comecei a comentar e começou a ficar muito grande, cortei ao mínimo e achei por bem fazer um post.

Eu sempre digo que não existe pessoa que não gosta de ler, existe pessoa que não leu algo de que goste. É o meu jeito sutil de entender a diferença. Porque eu entendo perfeitamente bem o cara que diz que não gosta de ler depois de encarar Machados de Assis, Graciliano Ramos, Jorge Amado como literatura básica de escola e quando pensou que tinha passado o inferno a mãe me vem com um livro do Paulo Coelho. Realmente, a pessoa tem que amar ler pra engolir tudo isso sorrindo.

Eu tenho o mau hábito de dar livros de presente às pessoas, para algumas é mais fácil de acertar do que para outras. E sempre que vou comprar, perco um tempão pensando o que fulano gosta de ler. Porque eu creio profundamente que alguma coisa vai, nem que seja gibi da Mônica no banheiro.

A questão não é sobre obrigar a ler, a questão é disponibilizar algo que possa chamar atenção. Monteiro Lobato para crianças, Pedro Bandeira para adolescentes, Paulo Coelho para adultos, Marian Keyes para mulherzinhas, todo mundo começa de algum lugar. Mas ora pombas, se os livros não estiverem lá, expostos, com a capa para a frente (não aquela lombada que não chama atenção de ninguém), ningué vai querer ver mesmo. Afinal, porque a mediocridade de auto-ajuda vende? Porque tem capas e títulos vistosos!

No final das contas, literatura não tem destaque simplesmente porque lhe falta a devida publicidade. E olha que qualquer publicitário que se preze é bom papa-letras…

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

5 Comentários

  • Lomyne,
    O ponto é exatamente esse, o principal é colocar à disposição algo que chame o interesse do candidato a leitor. Acho que aprendi a gostar de ler mais por ter livros a minha disposição e pessoas que gostavam de ler, do que pela a velha imposição escolar de ler isso ou aquilo.
    Hoje vejo que esse é mesmo o melhor caminho, meu Dudu, mesmo ainda sem saber ler, felizmente já manifesta interessado por livrinhos infantis, talvez por encontrar em casa ou nos passeios as livrarias, sempre algo que desperte seu interesse.
    Abração e não suma mais por tanto tempo, pois nos faz muita falta.

  • Concordo 100% com você. E me irrita um pouco quando as pessoas reclamam que a meninada não está lendo, mas eles mesmos, como pais e professores, fazem zero para mudar isso (começando por dar o bom exemplo.

    E aí que o comitê do vestibular da UFMG pediu, há uns anos, que o pessoal lesse Grande Sertão: Veredas pra prova. Imagina se Guimarães Rosa consegue competir com limites e derivadas na doidolândia do vestibular!!!

    Abraço
    Mônica
    Crônicas Urbanas

  • Eu também acho que todo mundo encontre algo que goste para ler. Mas mesmo no colégio eu sempre li todos os livros obrigatórios…

    beijos, flor!

  • E não é que deu um post mesmo?

    Rsrsrs.

    Adorei. É isso aí. sabe que talvez seja isso mesmo?Você colocou a questão de um ponto de vista muito interessante e verdadeiro.
    E isso são toques que não são impossíveis de ensinar não.

    Você sabe como lá do meu post linko aqui, passa o seu post?

  • Concordo perfeitamente… E como vc me fez lembrar da minha adolescencia citando o Pedro Bandeira, sempre gostei dos livros dele.

    Bjoss!

    PS: Os comentários diminuiram pq vc ficou um tempinho sem postar tb né!

Comentários indisponíveis.

Leia o post anterior:
Minha avó e a reforma agrária

Cheguei em casa ontem e o Jornal Nacional estava com cara de climão, perguntei para a minha avó o que...

Fechar