Minha avó e a reforma agrária

Cheguei em casa ontem e o Jornal Nacional estava com cara de climão, perguntei para a minha avó o que estava acontecendo e lá vem ela com as explicações:

Ah, esse bando de sem-terra, cambada de vagabundo! Invadem e não querem sair! Sabe o que tem que fazer, minha filha? Jogar bomba! Pega os avião do governo enche de bomba e joga nos acampamentos desses vagabundos, mata tudo e pronto. Aí eu quero ver como é que fica, aí eu quero ver esses caras-de-pau entrar no que é dos outros! Você acha o quê? Que mais algum vai invadir por lá? Tem que passar fogo neles! É essas ocupação de sem-terra e as favelas no Rio de Janeiro, joga uma bomba. Começa pela Rocinha, quem não morrer se muda. E nas outras favelas já já o povo se esperta. Pronto, cabou, problema resolvido.

Diante de tudo isso eu tive que rir um monte e dizer que eu quero minha avó para presidente. Eu digo, minha avó me poupa texto…

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

3 Comentários

  • Ela tem meu voto e de mais um tanto de gente que eu conheço. Ah, pergunta pra ela se o avião com a bomba não pode ir só mais um pouquinho carregado e explodir Câmara e Senado em Brasília? brigada!

    beijão

Comentários indisponíveis.