Cada coisa no seu lugar

Estava andando por aí de blog em blog, saltitando entre links enviados via twitter e esbarrei em algum artigo desses papos de dinossauro (como eu) e suas análises de internet. Pelo meio de tudo, o post falava de como o pessoal que entrou há muito tempo na internet fica indignado com os novos desinformados na web.

Aí caiu a ficha: eu sou meio 1.0 e por isso reluto em aderir a certas tecnologias, porque muita coisa semi-pronta pra mim fica com gosto de comida de microondas: eu até encaro, mas não gosto não.

Mais do que isso: acho que a internet devia ter degrau de evolução, algum mecanismo que separasse os novatos dos veteranos e deixasse os novatos usando a internet 1.0 até que aprendam, entendam, façam uma prova e aí sim possam utilizar os recursos da web 2.0.

Pronto, meu projeto revolucionário vai fazer milagres culturais. E o melhor: ninguém se estressa com ninguém. Bora segmentar a internet, pronto. Não é novidade nenhuma um mundo divididos em castas. A web também merece isso. Pelo menos, os usuários merecem…

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

Post Author: Lomyne

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

13 thoughts on “Cada coisa no seu lugar

    Emanuelle Najjar

    (02/11/2009 - 22:07)

    É, está aí uma segmentação que não faria mal à ninguém.

    Eu sinceramente não sou geek, mas busco entender e pesquisar aquilo que não sei, seja para o blog ou para ferramentas sociais. E as castas deveriam servir especialmente aos mal educados que estão tomando conta da internet ultimamente. Mas a idéia não vai colar.

    Não queriam criar um lugar especialmente para a pornografia? O xxx que não deu certo? Qualquer segmentação desse gênero será vista como preconceito… apesar de admitir que a idéia é boooa.

    Márcia Engel

    (02/11/2009 - 22:12)

    Acho que essa divisão faria nossa casta jurássica um bocado solitária… rs.

    Beijos, kiriduxa.

    Lomyne

    (02/11/2009 - 22:32)

    Manu, eu sei que não emplaca, mas daria uma mãozona pro meu sossego, viu? No mínimo, minha preguiça de internet iria diminuir significativamente…

    Andarilho

    (03/11/2009 - 1:10)

    Segmentação forçada não funciona na Internet.

    O que segmenta são as próprias pessoas, que formam suas 'panelinhas'.

    E é simples lidar com isso, não quer fazer parte, vira as costas e tchau.

    Julianno Jungle

    (03/11/2009 - 1:57)

    Mas vc está certa.

    E a diferença entre os novatos dos veteranos é que os novatos comem a comida de microondas enquanto os veteranos criam novos pratos. ^^

    Marcelo

    (03/11/2009 - 8:59)

    Gostei da proposta. Vou somá-la a minha idéia de que as pessoas deveriam ter licença para ter filhos. Fazer provas, cumprir estágio probatório… Estamos trabalhando por um mundo melhor… se o pessoal adotar as idéias…rs

    Selena Sartorelo

    (03/11/2009 - 17:45)

    Olá…

    Não sei se ser dinossauro ou não seja a questão principal…tem muita gente nova ou não nesse universo que tem condições de postar coisas inteligentes e interessantes na net, independente do tempo que estejam aqui e que atendem aos gostos mais exigentes e aos mais piegas e bregas também.

    O que a internet nos dá de melhor é exatamente essa seleção natural e nada obrigatória. A partir do momento em que as castas forem rotuladas os equívocos começaram, pois grupos sem denominações reais começaram a nascer criando ideias falsas do que são e os seus integrantes tornaram-se infelizes e frustrados (lembra PT e suas ideologias) Hoje existe uma seleção democrática e sem tipos, é claro que tem mais porcaria do que deveria, mas acredito que todos tem o direito de ter seus quinze mintutos de fama seja a que preço for e cabe aos observadores ter a responsabilidade de esclarecer…por exemplo se vou ao facebook é para ver amigos e alimentar aquele lado (uiii!!! qualquer coisa de ser, percebo como a preocupação com a imagem é destorcida e encoberta pela ignorância e o medo de se dizer o que se pensa é visivel, como se isso fosse uma verdade absoluta, ou mesmo um discordar pudesse denegrir uma imagem criada para ser simpática. A falta de originalidade e a leitura desaprendida)o twitter eu desprezo não por complexos mas por não ver ali nada que se aproveite de fato. São fofocas e preocupações nada relevantes.( estou comentando sobre o twitter sem nunca ter visto o que é, apenas pelos comentários que leio sobre o que lá é escrito, sem embasamento e sem informação)

    Os blogs são variados e ecléticos, nem melhores nem piores mas não tem nenhuma obrigatoriedade nem de serem lidos muito menos comentados, os que leio e frequento é a minha opção e não o que os outros acham.
    Talvez isso seja muito complicado para quem não tem opinião formada ou tenha uma opinião estagnada, ou simplesmente ainda por não saber se tem mesmo que fazer parte disso ou daquilo. Tua proposta é boa deveria encaminhá-la para as tvs abertas que tanto contribuem para a desinformação da grande população.
    Hoje os bogs começam a incomodar pois neles habitam pessoas que pensam por conta e risco…lê-los continua sendo uma escolha, tem alguns que são tão fúteis quanto a importância de eu saber quem é que vai ou não ser eliminado ou convidado de qualquer realyt show que tem por aí..outros são diários pessoais descarados e enjoativos, tem os anarquistas, os cultos, os que falam de história e arte, os com opinião, os variados, tem realmente de tudo um pouco que cada compreensão precisa. O famoso copie e cole são os mais numerosos..as pessoas saem copiando e colando sem noção.
    Mas tem blogs de artistas que merecem muito respeito e eles estão ali por opção optam por esse meio pois cativam seus seguidores sem manipulação.
    Que falta educação nesse meio, falta muita, cultura então vixi!!!
    Mas bem menos do que nos outros. Creio que aqui pelo menos por enquanto tudo é menos tendencioso, acho que tem uma notoriedade sincera que merece acima de tudo respeito.
    Um assunto que merece atenção.

    beijosssssssssssssss

    Fatima Cristina

    (04/11/2009 - 8:01)

    Oi,

    A web é como uma praia. Um espaço livre e democrático. Cada estende a sua toalha como quer e arma a sua barraca como pode. "Separar os novatos dos veteranos" e qualificá-los como usuários experientes em web 2.0 ou ainda usuários resistentes da 1.0 seria regredir no sistema de pensamento aberto que o espaço da internet nos oferece. … Sendo assim, acho melhor pensar em outra ideia.

    Um abraço.

    Marisa

    (06/11/2009 - 22:38)

    "acho que a internet devia ter degrau de evolução, algum mecanismo que separasse os novatos dos veteranos e deixasse os novatos usando a internet 1.0 até que aprendam, entendam, façam uma prova e aí sim possam utilizar os recursos da web 2.0"
    Será que li direito?
    Vc está propondo segregação na web?
    Quanta arrogância;e isso é pq vc se considera 1.0,hein!!
    Como disse a colega aí em cima, a web é como uma praia. Um espaço livre e democrático.
    Leia e comente o que lhe agradar ,ou não!Mas,respeite a todos;ou pretende fazer do seu ato de blogar,uma maneira de conseguir aposentadoria por tempo de serviço?

    abraço

    Lomyne

    (07/11/2009 - 22:33)

    Marisa, sua dúvida realmente procede e a resposta é não, você não leu direito. Peço por gentileza que, caso volte ao meu blog, leia aquela porra daquela sessão chamada leitura obrigatória. Em seguida leia muitos, muitos, muitos posts meus e quem sabe você descubra o que é ironia.

    Fatima Cristina, você não poderia ter escolhido metáfora melhor. Na praia costumamos ter um cantinho onde gostamos de ficar, a maioria vai pra lá se divertir e alguns para trabalhar. O sol nasce para todos e cada um escolhe como se queima.

    Marisa

    (08/11/2009 - 12:04)

    Lomyne
    Juro que não vou fazer desta sessão um debate,até porque isto eu já faço no meu blog.
    Mas,senti que seu comentário acima merecia uma tréplica.
    Não tive tempo de ler outros posts seus para compreende-la,mas li o seu "Leitura Obrigatória" com atenção.Já foi o bastante!
    Entendi que ao contrário de outros blogs que fazem propaganda dos seus "deliciosos" posts,que distribuem memes e selos,você faz um tipo de antipropaganda,mas válida,apesar de duvidar que alguém leia.Muitas vezes não leem nem o próprio post.
    Mas,tudo bem,de qualquer jeito gosto de gente inteligente e de bons post;segurei firme o fio de Ariadne e voltarei sempre que puder.Mas,prepare-se,ao contrário de vc,sou apenas uma professora de história e cometo muitos erros e não sei de muitas coisas.Aliás ,eu não sei de nada!!!
    Só uma pergunta?Por que vc se trata na terceira pessoa?

    abraço

    Paula

    (09/11/2009 - 14:11)

    Gente, continua tudo como dantes do quartel de abrantes. Por isso que estou adorando o meu anonimato…

    beijos, flor

    Lomyne

    (24/11/2009 - 14:36)

    Marisa, eu me refiro a mim na terceira pessoa porque considero um recurso textual divertido – um hábito que tenho oralmente também.

    E quanto à antipropaganda, digamos que eu curto uma certa seletividade, quando alguém chega aqui pode me conhecer em poucos cliques e perceber quem eu sou. Os preguiçosos da leitura não são exatamente meu público-alvo.

    Eu posso não saber de muitas coisas, mas demora um tanto para alguém quebrar a arrogância que tenho sobre a minha inteligência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *