Os idiotas e o aborto

Eu gosto de política. Muito. E eu não sou exatamente uma ingênua no assunto. A questão é que o debate anda no nível das paixões e teorias conspiratórias: e-mails falsos, fofocas, e por aí vai. Eu considero que esse nível de debate é medíocre, e o mais grave é que a mediocridade do discurso se espalha por todos os lugares, parte de quase todas as pessoas, independente de religião ou nível de instrução.

Agora, o ponto crucial do debate é o aborto. E se discute o valor da vida, da crueldade, da religião, dos valores morais e chega que essa merda tá passando dos limites, né? Como crianças que brigaram no recreio, os dois lados se acusam.

Porque colocar a religião no cerne do debate sobre aborto? Favor verificar qualquer doutrina religiosa: quem vai pro inferno – ou coisa parecida – é a mãe da criança, no máximo o pai e o médico responsável. Mas olha gente, dica: o presidente que sanciona a lei não vai pro inferno por isso, nem o ministro da saúde, viu?

Aí eu pergunto: o certo é o quê? Obrigar uma mulher a levar até o fim a gravidez de um bebê acéfalo ou do fruto de um estupro? Deixar o aborto na ilegalidade, para que milhares de mulheres morram ou sofram danos gravíssimos em fundos de quintal?

É tão absurdo misturar as leis e a saúde pública com a religião! Para começo de conversa, estamos em um país laico. E para encerrar o assunto, porque os religiosos são tão contra a legalização do aborto? Afinal, se a legislação permitir o aborto, qual é o risco? Mais mulheres abortarem?

No fundo, acho que o medo dos religiosos é ter que admitir que as pessoas tem mais medo das leis dos homens do que das leis de Deus. Eu até me atreveria a dizer que o objetivo destes religiosos é acabar com o livre-arbítrio!

À propósito, eu não faria um aborto, por conta dos meus valores, da minha religião. Entretanto, considero a ilegalidade perigosa demais para as gestantes. Quase tão perigosa quanto sacerdotes-ditadores.

E que derrube meus argumentos alguém aí que faça sexo somente com finalidade reprodutiva. Não pode ser divorciado e se for solteiro tem que ser virgem. Vou esperar sentada.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

Post Author: Lomyne

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

2 thoughts on “Os idiotas e o aborto

    Arjan Goes Tinoco

    (11/10/2010 - 18:52)

    É bizarro o mundo em que a gente vive. Prega-se a liberdade, mas valores religiosos da idade média ainda prevalecem acima da lei, por mais absurdos que sejam. E os políticos têm de fingir acreditar em deus e apoiarem os valores medievais do povão, senão não se elegem, né?

    Lomyne

    (13/10/2010 - 19:29)

    É incrível, meu caro, como neste país é extremamente importante ter fé em Deus. É claro, se este Deus for cristão. Com o perdão do trocadalho, acho ultrajante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *