Manifesto do Café

Eu, pessoa descontrolada por trás deste blog proponho uma manifestação de proporções épicas em nome de um item absolutamente necessário à convivência matinal: o café.

CAPÍTULO I – CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Artigo 1° – Considerando que eu, portadora de um CPF e um RG que não vou escrever aqui – doravante denominada VICIADA EM CAFEÍNA – e o Governo Federal da República Federativa do Brasil – doravante denominado AQUELES SUJEITINHOS, não possuem relação estreita e VICIADA EM CAFEÍNA será solenemente ignorada por AQUELES SUJEITINHOS, aquela manifesta sua proposta unilateral como segue. Para fins deste manifesto, demais cidadãos interessados serão aqui referenciados como VICIADOS EM CAFEÍNA.

CAPÍTULO II – DO OBJETO

Artigo 2° – O subsídio agrícola do café deve, a partir da presente data, ser aplicado no setor terciário da economia, atingindo o consumidor final diretamente.

parágrafo único – Fica desde já estabelecido que o cidadão tem direito a um café espresso gratuito por dia, correspondente a 100ml. A indisponibilidade do item em ponto comercial implicará, imediatamente, na substituição do mesmo por café comum, atendendo a duas condições: café forte e com o dobro de volume, equivalente a 200ml.

CAPÍTULO III – DA APLICAÇÃO

Artigo 3° – Fica estabelecida a aplicação do presente manifesto nos seguintes termos: AQUELES SUJEITINHOS deverão distribuir cartões eletrônicos de recarga mensal gratuita, através da rede comercial responsável pela venda do café.

§ 1 – Cidadãos que não se utilizarem de sua cota poderão repassar as mesmas, tendo por obrigação, no entanto, não apresentar menores indícios de mal-humor matinal.

§ 2 – VICIADOS EM CAFEÍNA ficam terminantemente proibidos de apresentar características irritadiças e mal-humor no horário da manhã, com exceção dos casos em que não seja possível encontrar café para vender.

CAPÍTULO IV – DAS PENAS

Artigo 4° – VICIADOS EM CAFEÍNA podem declarar déficit de cafeína no sangue como atenuante em processos judiciais, exceto em casos de crimes hediondos.

Sem mais, subscrevo.

Em tempo: este texto não tem qualquer valor legal e aquele que considerar que isso de fato pode ser utilizado judicialmente será doravante classificado como burro na minha opinião.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

Post Author: Lomyne

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

2 thoughts on “Manifesto do Café

    Nathalia Esthevlana

    (30/07/2015 - 12:11)

    Hahahahaha
    Eu já fui extremamente viciada em café. Mas trabalhei numa empresa que servia um café tão ruim, mas tão ruim, que hoje consigo beber socialmente.

      Lomyne

      (30/07/2015 - 13:51)

      Passei por uma dessas também, o café era horrível, mas depois de 1 ano trabalhando lá me acostumei àquela heresia de ferver o café enquanto coa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *