Sobre ter um blog em 2015

go to site 4 de abril de 2002. Foi quando criei meu primeiro blog, morto em um terrível acidente emocional em fevereiro do ano seguinte. 13 anos depois, eu continuo aqui. Ou tento continuar. Não é a mesma coisa, sabe? Nada está vagamente parecido com o que era há 13 anos.

source site A internet é hoje um território completamente diferente. Antes éramos poucos, éramos blogueiros de intervalos de trabalho, éramos publicitários, fotógrafos, designers, programadores e afins, pessoas apaixonadas pela internet capazes de ver todo o potencial dela, a grande maioria se sustentando assim. Hoje boa parte desse potencial virou realidade e isso é maravilhoso e desesperador ao mesmo tempo.

Tá todo mundo online, todo mundo escreve o que pensa, faz um vídeo ou posta uma foto. O acesso à internet dá alcance a todas as vozes, tecnologia acessível, somos todos emissores, somos todos plenamente capazes de propagar qualquer ideia. É fácil, é simples, Facebook tá aí pra isso, sem falar em Twitter e Whatsapp.

Toda ideia consegue seu espaço. E o mais bizarro é ver como as ideias de merda tem cada vez mais espaço. Se por um lado é muito fácil propagar ideias online, por outro lado também é muito seguro. A internet tem um quê de anarquia que a torna maravilhosa e muito perigosa, porque se reveste de uma certa sensação de impunidade. De um lado do mundo, muçulmanas derrubam tabus. De outro, brasileiros empilham comentários racistas sobre a garota do tempo do Jornal Nacional.

Radicais estão por aí, em tudo quanto é lugar, se sentindo blindados por uma tela, propagando ideias muito perigosas, ideias repletas de expressões como “ninguém”, “todos”, “ter que”, opiniões massivas que acabam em apedrejamento de menina, linchamento de assaltante. São muitas regras e muitas pessoas muito cheias de certezas.

Além disso, política se tornou assunto frequente de uma maneira completamente deturpada. Pessoas pedem impeachment de prefeito, governador, presidenta, só porque não concordam com o desempenho atual. E se por acaso alguém ousa perguntar a este novo baluarte da política honesta se ele sabe como funciona um processo de impeachment, a turba ensandecida grita:

Coooooorte-lhe a cabeça.

Imagina se perguntar como funciona o voto de legenda? A maioria não sabe, mas todo mundo tem certeza que a boa ideia é fazer panelaço por impeachment. E política é aquela coisa: ou você concorda comigo, ou você é burro.

Vai dando um desespero, uma vontade de gritar absurda. Aí eu me lembro da velha história que discutir na internet é como jogar xadrez com um pombo: ele caga no tabuleiro, derruba as peças e ainda sai voando cantando vitória de peito estufado.

Tudo isso fode a vida de quem tem um blog de opinião. Eu sempre considerei que tenho um blog pessoal, aos trancos e barrancos, tá sempre por aí, mesmo que desatualizado. Mas isso é meia verdade, porque muito mais que um blog pessoal, isso (quase) sempre foi um blog de opinião. E opinião na internet hoje é um território selvagem. Não sei o que houve, sinto que fiz o caminho reverso da maioria das pessoas. Se ao longo de 13 anos eu aprendi a ser mais ponderada e ouvir mais, relevar mais e aprender com o ponto de vista do outro, a maioria parece que tem cada vez mais razão, completamente irredutíveis.

No final do dia, certa tá a frase na parede da agência em que trabalho: já não sou mais tão jovem para ter tantas certezas.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

4 Comentários

  • Estava pensando exatamente sobre isso dias desse, como é ter um blog não voltado pra moda/vida saudável/etc em 2015… Impressionante como as coisas mudaram tanto em tão pouco tempo.
    Fiquei ausente do meu blog por quase tres anos, as coisas já estavam mudando, mas quando voltei… Não tinha nem resquício do que era antes.

    • Não só a internet muda, a gente muda pacas. Eu imagino que muita gente ainda tenha blogs despretensiosos, gente postando porque gosta de escrever, não porque quer ganhar dinheiro com isso ou ir pro Big Brother. O que não anda fácil é achar estes blogs, porque a internet é muito diferente agora… Tem coisa demais e boa parte da navegação é fracasso…

  • Excelente. Iniciei um blog sobre como montar uma empresa de hospedagem, um host, porque nao havia nada em portugues. Em um mes, tenho 50 assinantes, 50 dolares de adsense, e 150 visitas diarias. E pouco mas estou comecando devagar. Meu maior problema e divulgar para um publico tao especifico. Mas agradeco as dicas e vou implementa-las!

Comentários indisponíveis.

Leia o post anterior:
Vida de Marketing Online

Não precisa muito esforço. É só pegar um artigo recente sobre profissões em alta ou com futuro promissor - não...

Fechar