Momento diarinho IV – Notinhas

Nada. Resmungando palavrões por nada, proferindo milhões de impropérios sem razão. Sabe quando tudo está certo ou pelo menos se acertando? Pois é, já dizia meu pai não apresse o rio, ele corre sozinho.

Eu to vendo ela ali, online, aquela pessoinha cínica que me deve umas paradas. Eu to vendo sim. Eu sei que ela tá olhando o ICQ de canto, parece que to vendo aquela cara debochada de quem sabe que eu também to olhando pro ICQ. Isso arde. Arde tipo o Merthiolate de antigamente no ralado de bicicleta, saca?

Eu fui às compras, me dei um monte de presentes, um montão. Coisas lindas, pra todos os gostos, pra ir pra qualquer lugar. Comprei mesmo, sem dó.

Tem chocolate me esperando, chocolate que eu já ganhei, vou pegar um dia desses. E vou comer pizza com ele. Não com o chocolate, também não é a pizza com chocolate. Vou comer pizza com quem me prometeu chocolate. O chocolate eu como depois, bem escondida pra não ter que dividir…

Tem gente que me ama, sabiam? Gente que me perdoa todas as vezes, gente que nem se estressa com meu jeito à moda caralho, de quem some até da vida dos que mais ama. E eu tenho esse hábito estranho de expulsar à vassouradas gente que eu amo muito. Depois fico me remoendo…

Eu to gorda. Nossa, pelo menos metade do meu armário não me serve, to uma mulher de peso… E não me venham com aquele papo de que isso é neurose de toda mulher, eu to dois números acima do meu armário. Vou fazer dieta. Começo na segunda.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte