Língua de trapo

Para quem não conhece a gíria aí em cima, eu traduzo: significa pessoa que fala mais do que deve. E eu sou uma tremenda língua de trapo. Mas já dizia a minha avó, a língua é o chicote da bunda (e quem pensar sacanagem deste ditado eu aviso: vou xingar, hein?). Agora chega de enigmas, vou contar um causo. Lembram de bandeiras rotas? Pois é, eu não devia ter postado aquilo. Paguei minha língua uns dias depois.

Cenário: churrasco em que diretores de uma mega empresa de comunicação estavam presentes, juntamente com Lomyne e sua família feliz. Detalhe: diretores grngos com um português medonho.

Cena 1: gringos jogam dominó com o Pai da Lomyne, de repente um deles se levanta e me diz senta aqui e joga por mim, estou indo embora. E lá fica Lomyne, fazendo um social com interesses profissionais enquanto joga algo que odeia, acha ridículo e até patético.

Cena 2: a dona da casa, esposa de um dos gringos e amiga do Pai da Lomyne me chama para conversar alguma coisa importante fora daquela mesa. Resumo da mensagem: ‘Lomyne, se você quer algum dia trabalhar na empresa desses gringos, não se sente novamente na mesa de jogo e nem se aproxime de lá, porque eles não gostam de mulheres jogando nem por perto enquanto eles jogam, porque nas mesas de jogo eles costumam falar de negócios’.

Cena 3: Lomyne com a macaca dentro de si, sem poder perder a linha, sem porder mandar aquela cambada de filhos das putas enfiar pecinha por pecinha do dominó em suas bundas e ainda tendo que prontamente sorrir e dizer que entende, que é uma coisa cultural, etc, etc.

Quem me conhece pessoalmente deve estar se divertindo imaginando a minha cara na hora, vermelha, tentando encontrar as palavras educadas no meio dos impropérios que pipocavam na minha cabeça. Ora caralhos, como é que eu vou entender alguém assim? Sabem que eu até entendi? Entendi mesmo que é coisa do povo deles, mas eu lhes digo: com um babaca assim eu definitivamente não quero trabalhar. Na hora eu fiquei imaginando: que tal eu trabalhando com um cara desses e ele não me chama para uma reunião porque sou mulher? Sim, porque se quando ele fala de negócios enquanto joga – ou seja, quando a conversa não é oficial – ele não aceita a presença feminina, imagine quando for realmente importante… Tenho que ficar feliz se receber um memorando, eu suponho. E como é que vou acreditar em uma carreira profissional em uma empresa comandada por um cara assim?

Eu mereço, né? Essas merdas só caem na minha cabeça mesmo…

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

Leia o post anterior:
FAQ

Na tv, nada se cria, tudo se copia. Na internet, nada se copia, as coisas se propagam. O Jr fez...

Fechar