Tempo, tempo, tempo

“Fiz um acordo com o tempo:
nem ele me persegue e nem eu fujo dele.
Um dia a gente se encontra.”

(Mario Lago)

Anos atrás, uma amiga comentava sobre seu último relacionamento, dizia que não gostava mais, não queria nunca mais olhar na cara, que estava morrendo de raiva, etc. Lembro que eu disse a ela que aquilo era pura contradição, porque a gente só tem raiva de quem a gente ainda gosta. O tempo é um santo remédio, não só para as dores de amor.

Não sei ao certo quantos erros pessoais cometi até hoje, suponho que não sejam poucos. Sei que há pessoas a quem um dia quero pedir perdão, outras a quem devo, só preciso de oportunidade e principalmente coragem. Em contrapartida, existem pessoas que me devem desculpas. Separando as vezes em que fui ofendida das vezes em que fui magoada, não sobram muitas desculpas. Porque as mágoas se diferem das ofensas simplesmente pelas pessoas que as cometem e – caso seja necessário dizer – me megoaram aqueles de quem eu gostava, me ofenderam aqueles que simplesmente me conheciam.

As ofensas, nunca me ocupei delas, o tempo as curou muito rápido, pessoas assim sairam da minha vida sem fazer falta. Mas as mágoas, ah, as mágoas… Carrego uma coleção delas, costumo dizer que minha história é feita de chuva, suor e sangue. Como desejei receber certos pedidos de perdão, deuses, quantas noites choradas, travesseiros apertados, insônias e medos de nunca mais! Aí vem o senhor tempo, leva dois, cinco ou dez anos e faz seu milagre. As lembranças ficam enevoadas, não há muita certeza do que aconteceu naquela época.

Um dia, sem introdução, poesia ou trilha sonora, me pedem perdão. Aí eu percebo que não precisa mais. Sabe, é absurdo, não precisa mais mesmo. E de certa forma, dói ver nos olhos que agora pedem desculpas o quanto precisam ser perdoados. Não se importar com aquele pedido de perdão é quase uma forma de crueldade, talvez uma vingança, não sei ao certo. De minha parte, só sei que não faço por mal, só não importa, é tarde demais. E disso tudo, sobra o caso mais nonsense possível: ninguém pede perdão e ninguém sente falta disso, porque não importa mais. Porque o tempo passou sua borracha. Andei fazendo as contas e descobri que o tempo perdoa tudo. O tempo torna qualquer erro somente uma parte da história, o tempo me faz sentir pena. Nestes dias, não digo nada, porque assim como o tempo me cura, ele mesmo se encarrega de sangrar em remorsos aqueles que merecem.

Por fim, me resta agradecer ao tempo, por me fazer esquecer e também pela sua sutileza de apagar das memórias alheias os meus erros. Aos novos trapaceiros, daqui a pouco passa, nem me abalo. E à pequena dádiva, peço perdão pelo que fiz sem saber e agradeço o modo velado de me perdoar.

“Não levante a espada sobre a cabeça de quem te pediu perdão.”
Machado de Assis

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

9 Comentários

  • Esse ano é uma ano especial para mim e por causa disso comecei a escrever meu perfil, a forma como me vejo. Uma das coisas que mais me chamou a atenção como o tempo pode nos fazer bem em vários aspectos. Até para nos fazer maduras e ver o que devemos aceitar ou aquilo que realmente não nos faz falta, como por exemplo, um perdão.

    beijos

  • Esses dias em que a gente percebe que o pedido de perdão não faz mais sentido nos fazem leves. Necessária e deliciosamente leves.

    Beijos 🙂

  • Sabe o que me deixa muito confusa e angustiada?Que as pessoas quemais amam tem atos que fazem eu odia-las,e me sinto mal por oiar pessoas que amo tanto,e por sentir que essa angustia na toca nem um pouco nessas pessoas,elas continuam com seus malditos reis enfiados na barriga.

  • Tava comentando sobre perdão, ontem. Eu sou capaz de perdoar quem me pede desculpas, mas jamais aquela pessoa que se faz de desentendida e diz não saber o que fez. Aí isso me dá um ódio que sou capaz de matar a criatura!

    Mágoas sempre vamos carregar, parece que elas independem um tanto de vc perdoar ou não!

    Beijos

  • espero nunca ter te causado nenhuma ofensa e MUITO MENOS mágoa, mas se por acaso o fiz… desculpa do fundo do meu coração…
    vc sabe o quanto é especial pra mim!
    estou com saudades
    te amo
    beijo

  • Se me permite uma invasão em sua vida, lhe peço, não carregue mágoas, se livre delas, jogue em um buraco bem grande, passe na cara de quem a magoou, solte o bicho, perca o controle, mas não deixe isso aí dentro não.
    Minhas mágoas viraram miomas, cá entre nós, aí tirei o útero, agora me proibo de ter mágoas, pq miomas são benignos, e nao quero ter nada maligno em mim.
    bjs
    adoro vc, é como se fosse uma filha que não tive. Se morasse aqui, quem sabe uma nora?!! rsrsrsrsrs. Meus filhos são lindos, inteligentes, bons partidos e eu sou uma mãe descarada, fazendo propaganda dos meninos, rsrsrsr.

  • Meu século de vida me fez ver que o pedido de perdão pode não mais fazer sentido para aquele a quem é feito, contudo, se sincero, vale o sangue de quem pede… despreza-lo é mais cruel que a primeira ofensa

  • Vê, por favor, você sabe que não tem porque se desculpar comigo, que é especial pra mim também e que não precisa se preocupar com isso.

    Iuna, não se preocupe, justamente o que se passa é que o tempo cura todas as mágoas. Agradeço seu carinho maternal e cá entre nós, se não fosse tão longe eu até que daria uma olhadinha nos seus meninos só para te ter como sogra. 😉

    Rui, acredite, eu digo que perdoo, mas já não me importo mais. Se certos pedidos de desculpas não chegassem nunca, não me fariam falta. Só isso.

Comentários indisponíveis.