Às Fadas

buy Pregabalin online eu O universo infantil é cheio de sutilezas e sinceramente considero que a maior utilidade desta data é me fazer lembrar. Das pequenas coisas que amava quando era pequena – ok, quando era menor – e do quanto da infância eu carrego dentro de mim até hoje.

gabapentin 300 mg for dogs where to buy from Hoje decidi postar sobre um assunto que anda enchendo minha cabeça, por conta de um livro muito impressionante que estou lendo tentando ler no pouco tempo que eu tenho: os contos de fadas – ou, se formos corretos, os contos maravilhosos. Sim, porque nem todas as histórias fabulosas que são contadas às crianças contém fadas, vide Chapeuzinho Vermelho, Branca de Neve ou Rapunzel. Fada, fada mesmo, não tem. O que aparece ali é um universo de personagens e situações fora da nossa realidade e por definição técnica são chamados contos maravilhosos, aí sim, incluindo também as fadas.

Independente desse blá-blá-blá semântico, os contos de fadas são poderosos instrumentos que os pais usam desde divertir até educar os filhos. Ou alguém vai dizer que a mãe não aproveitou quando contou Chapeuzinho Vermelho para recomendar que não se deve falar com estranhos? A questão que realmente vale pensar é porque estes contos sobrevivem, de geração em geração, alguns com registros de mais de quatrocentos anos. Por alguma razão, alguém nos conta, nos compra livrinhos com essas histórias (para os oitentistas como eu, disquinhos coloridos de vinil) e por esta mesma razão inconsciente nós vamos contar aos nossos filhos.

clonidine buy online Eu não sei porquê. O que eu sei é que eu tenho a agradecer a sobrevivência destas histórias. Porque é graças a elas que certos encantos da vida nunca deixam de fazer nossos olhos brilharem e principalmente graças a essas histórias é que a fé em duendes, fadas e bruxas persiste no inconsciente coletivo. São estas histórias que mantém no fundo de cada pessoa uma tendência, por menor que seja, a sermos pagãos. E mesmo os religiosos mais fervorosos que por cá ou lá criticam e duvidam, algum dia acreditaram de coração aberto em contos de fadas.

Portanto hoje eu proponho uma celebração, um brinde às fadas, estas gentis senhoras cujas varinhas de condão plantam em cada criança a semente para crer que existem mais coisas entre o céu e a terra do que supõe nossa vã filosofia e que ver e sentir este mundo fantástico é possível para cada pessoa disposta a abrir seu coração. Porque eu acredito em magia, magos, sacerdotes, bruxas, templos. E porque, como diz alguém por quem eu tenho carinho especial, se é pagão, eu tô defendendo.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

8 Comentários

  • Tô aqui, brindando com você e as fadas! Lindo o seu post, Lomyne. E Rapunzel é o meu preferido. Não sei bem o porquê, mas é.

    beijos

  • Cá estou com meu alter ego sacerdotal, Rê 😉

    Tentando um blog novo – http://caminhecomigo.wordpress.com/

    Um bride aos sidhe, seelie e unseelie, e um brinde ao jardim que planta…

    Se celebram os mistérios antigos ou nao tao antigos assim, mas em nome d’ ela, eu tô defendendo =)))

    =***

  • que coincidencia, hj mesmo visitei o orkut de uma conhecida que é louca por fadas, ela tem uma lindíssima pintada no quarto e diversas outras pela casa e pelo corpo (tatoos); e mais, ganhei um selo com Sininho, minha fadinha preferida essa semana; é lua cheia, etc, então, é a semana perfeita para homenagear as fadas.
    Eu amei o brinde.

  • Quando era criança adorava essas historinhas, assim que aprendia a ler, ficava relendo e relendo, e a cada leitura um universo se formava em minha mente… Fase boa a infância… rs

    Beijocas

  • É ruim quem cresce e simplesmente esquece que há muito mais entre o céu e a terra que simplesmente o que se vê…

  • Um brinde às fadas!

    Quando criança meu conto favorito era o da Bela Adormecida. O sono sempre me encantou. Morria de inveja dela, o mundo acontecendo e ela lá, dormindo impávida. Meu encanto é tamanho que hoje o sono para mim é algo quase que platônico, pois tenho uma puta insônia. Enfim, deve haver uma relação muito plausível entre o conto de fadas favorito e a vida da pessoa.

    Beijo

  • Você realmente estava disposta a escrever sobre as fadas e estórias da categoria ?

    Você escreve bem, direito, texto bem concatenado, lógico.

    Mas duvido da naturalidade das suas palavras, bom tudo bem, vai saber o objetivo da falácia né. De repente você é uma devota das fadas.

    Bye`!

Comentários indisponíveis.

Leia o post anterior:
Não sei, não quero saber e tenho raiva de quem sabe

Existem coisas na vida sobre as quais não podemos ser indiferentes. A batata-quente do momento se chama economia americana. Não...

Fechar