Sessão da tarde

Há algumas semanas, tenho mantido o padrão e ir ao cinema na segunda-feira. Mas ontem eu sinto que não fui ao cinema, ontem eu fui ver sessão da tarde em uma tela maior. Porque é isso que Karate Kid é: um excelente filme de sessão da tarde.

Guardadas as devidas proporções – óbvio que kung fu não é karate – Jackie Chan é um bom mestre Miyagi, o herói é um bom menino sem amigos e o vilão é um menino cujo comportamento é resultado do que lhe ensinam, não de uma índole ruim. A moral o filme é simples: não existem maus alunos, apenas maus professores.

Assim como Aprendiz de Feiticeiro, Karate Kid tem gosto de uma tarde infantil jogada no sofá. Aqueles que ficam procurando defeito e reclamando estão fazendo algo muito errado. Karate Kid não é um filme para analisar como adulto e sim para se divertir como uma criança.

p.s.: (spoiler) amei a substituição do bonsai pela jaqueta, até porque eu amo metáforas.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte