Momento Diarinho: Board Games

Eu quero escrever sobre board games. Eu não tenho bem uma diretiva, eu só quero que as pessoas leiam sobre estes jogos, conheçam estes jogos, se interessem para que este mercado cresça e hajam mais opções de jogos e locais, a preços cada vez mais acessíveis.

Eu sempre amei jogos de tabuleiro (e similares). Quando eu era criança, tinha inúmeros jogos que adorava e raramente tinha companhia pra jogar, acumulei muita frustração assim, mas sempre haviam as tardes chuvosas na praia em que na falta de opções a galera optava por algum jogo assim. Ou o baralho, mas tudo bem, eu amo jogar baralho.

Tem uma prima que passou alguns maus bocados com a minha insistência “vamos jogar alguma coisa”. Eu me lembro do dia em que ela que disse “Paloma, vamos jogar baralho?”. Nossa, eu levantei saltitante, corri pegar as cartas antes que ela mudasse de ideia. Agradeço demais a paciência (e toda a relação com a prima mais parça que sempre tive). Enfim, não era muito a vibe dela, não era a vibe de quase ninguém que eu conhecia.

Tiveram umas fases pela vida de jogar muito War no sítio de uma amiga (saudades, 2006) e outra fase, outra galera em 2008/09, jogando War também. Mas grosso modo eram atividade secundária do grupo de amigos. E era só War, no máximo mímica ou Imagem&Ação ocasionalmente.

Em 2012 eu morava em Floripa e uma amiga da academia me apresentou alguns jogos que eu amei de paixão desde o primeiro momento, Ticket to Ride e Carcassone. Essa mesma amiga me falou de um grupo que se reunia para jogar jogos de tabuleiro modernos, a.k.a. board games. E foi assim que conheci o Floripa on Play, um grupo muito legal de pessoas que se reuniam pra jogar sem nenhum interesse comercial, sempre dispostos a te receber bem, apresentar novos jogos, promover torneios. Agradeço muito aos meninos cujo empenho me proporcionou muitas segundas-feiras divertidas.

Desde então comprei muitos jogos e é isso que mais amo fazer no meu tempo disponível: passar horas jogando board games com os amigos e falando bobagem. Vejo lojas surgirem com espaços e horários de funcionamento plausíveis para adultos frequentarem, porque de fato estes jogos não são brincadeira de criança. A imagem deste post é o meu rack, orgulhosamente preenchido ao longo dos anos, com compras e presentes de amigos. É bom demais ser uma adulta que se diverte com versões muito mais complexas de seus brinquedos favoritos de infância. É bom demais ser uma adulta que joga.

Como eu disse no começo do texto, eu quero que o mercado de board games cresça, para ser melhor, ter mais opções e ficar mais barato. Então se você já se divertiu em algum momento da sua vida com War, Imagem&Ação, Jogo da Vida… eu te faço um convite: vá a um desses lugares de jogos de tabuleiro modernos. Tente algumas opções, são inúmeros estilos, há jogos barulhentos, jogos somente baseados em sorte, jogos de muita estratégia, competitivos e colaborativos. Você com certeza vai se divertir.

Sobre

Eu sou uma ideia abstrata de mim mesma, vivendo para o meu trabalho e insistindo em acreditar que algum dia eu vou conseguir escrever o tanto que penso.

Vai que você curte

1 Comentário

  • Sdds carcassonne…isso q eu tenho uma bigbox e uma expansão aqui comigo… falta encontrar com quem (até pq quero tentar o nacional de novo e PQP q dessa vez eu ñ levo pra casa o campeonato daí)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia o post anterior:
Black Friday: entenda que descontos fazem sentido

É madrugada da Black Friday e eu tô aqui tentando me distrair pra relaxar e dormir. Um monte de ideias...

Fechar